terça-feira, 26 de abril de 2011

Devassas

Na última sexta-feira fomos – eu e Ossi – com amigos assistir ao espetáculo “Devassas – o que as mulheres gostariam que fizessem com elas na cama”. Foi a segunda vez que fui assistir, nas duas vezes a sala estava cheia. Soube que o espetáculo tem lotado frequentemente, o que mostra que alguma coisa tem chamado à atenção do público. É um monólogo criativo, que aborda a questão do sexo de maneira leve. Recomendo.

Percebo que a temática do sexo vem sendo explorada cada vez mais, seja através de espetáculos como esse, programas de tv, livros sobre o tema (recomendo “A cama na varanda – Regina Navarro”). Ao que tudo indica, as pessoas estão mais abertas para falar sobre isso. Isso não quer dizer, porém, que os preconceitos e tabus estejam sendo quebrados. Principalmente no que diz respeito ao prazer da mulher. Nossa, como ainda existem questões mal resolvidas!


Os potes da intimidade
 A personagem principal da peça inicia a conversa com o público como uma vendedora de potes plásticos, potes estes que logo se transformam em portas que se abrem para o mundo mais íntimo do sexo. E esses potes existem. Neles guardamos tudo o que ouvimos, vimos e sentimos acerca do sexo e da sexualidade. Muito se abrem e mergulhamos neles. Outros ficam fechados para sempre.

Alguns paradigmas e fórmulas acabaram por criar obstáculos ao processo de autoconhecimento tanto dos homens quanto das mulheres. Muitas mulheres ainda se privam do prazer de experimentar, e muitos homens ainda resistem em se deixar levar. Acabam os dois perdendo. Às vezes o conceito que fazemos de nós mesmos nos limita, nos impede buscar as coisas novas por que tanto ansiamos. E por isso alimentamos “fantasias”. Fantasias por que impossíveis, externas a nós. E que se realizadas são como uma roupa, que logo tiramos e guardamos na gaveta escondida. Voltamos então a ser “nós mesmos”. Pois penso que essas fantasias são na verdade experiências muito concretas, reais. Se vividas, passam a fazer parte de nós. Fantasias? Não, desejos!

Mas, estou eu aqui apenas divagando, pois nesses assuntos não há “certo” ou “errado”. O bom é descobrir que o sexo pode e deve ser gostoso para os dois. E que vai além, muito além, do ato sexual. É tudo de sedução, encantamento e desejos, que existe entre duas pessoas. Se os dois sabem disso, então, “é delícia!”.

Conheça o espetáculo: http://euumadevassa.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário