sexta-feira, 27 de maio de 2011

Estudantes ocupam o centro de Maceió


Na manhã dessa sexta-feira (27 de maio), milhares de estudantes ocuparam o centro de Maceió. Em passeata, faziam ressoar os gritos de FORA TÉO. Foi uma manifestação pacífica, com a presença de várias entidades estudantis.

O ato teve participação maciça de estudantes, visto que os sindicatos dos servidores públicos optaram por convocar um Ato unificado de todas as categorias para a próxima quarta-feira, dia 1º. O ato, inicialmente convocado espontaneamente por e-mails e através das redes sociais, foi liderado pelas várias entidades estudantis presentes.

Segundo a Diretora da União Nacional dos Estudantes (UNE), Claudia Petuba, “Nós estudantes resolvemos sair às ruas hoje e aproveitamos para fazer um chamamento a toda a sociedade para participar do novo ato na semana que vem. A luta é dos estudantes, dos trabalhadores, de todo o povo Alagoano. Ninguém suporta mais os desmando desse governo.”

A manifestação se iniciou na Praça dos Martírios, passou em frente ao Tribunal de Justiça, à Assembleia Legislativa e finalizou-se em frente ao Palácio de Cristal. O reforço policial foi chamado, apesar de a manifestação ter caráter pacífico. A cavalaria e o Bope acompanharam toda a manifestação.

Pres. da UJS/AL Naldo, Dir. da UNE Claudia, Dir. da UBES João.
 Os estudantes vieram de várias escolas e universidades, todos revoltados especialmente com o tratamento do governo estadual com a educação. A estudante da UNEAL Welingta Carla denunciou “A UNEAL hoje funciona com 40% do seu orçamento. É Universidade só no nome, porque está funcionando em situação de verdadeira precariedade em todos os setores. Esse governador está destruindo nossa Universidade!”. Para o Secretário Geral do DCE da UFAL, Hugo Cavalcante, “o caso é grave, pois Alagoas possui os piores índices de Educação, Violência, Saúde, Distribuição de Renda. Os Alagoanos não merecem isso, temos que ir às ruas!”

Com as caras pintadas com as cores da bandeira de Alagoas, os estudantes mostraram que estão atentos à situação política do estado. Para o diretor da UBES João Carlos, “A juventude não é alienada, essa manifestação aqui mostra isso. Somos solidários à luta dos trabalhadores por melhorias salariais e também temos as nossas reinvindicações”.

Em frente ao Palácio, a polícia cercou os estudantes, tentando dispersar o ato. O Presidente estadual da UJS, Naldo Freitas, denuncia: “Esse é o tipo de ‘diálogo’ que o governador tem com a população, através da polícia e da violência. Mas na quarta-feira estaremos aqui novamente, a insatisfação é muito grande e vamos mostrar isso nas ruas!”.


Nenhum comentário:

Postar um comentário