quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

As botas viajantes de Eleanor Antin

Em leitura do Livro “Imagens Cintilantes” (Camille Paglia), deparei-me com essas intrigantes imagens:












Essas botas viajaram por 51 fotografias, da Califórnia a Nova York. São 50 pares de botas de borracha, retratadas pela artista Eleanor Antin e enviadas para personalidades em várias partes do mundo. O conjunto de imagens forma uma só obra, denominada “100 botas”, atualmente em exposição MoMA, San Francisco.

O que me encantou nas imagens foi a capacidade de evocar sentimentos paradoxais: seres inanimados que emanam sentimentos humanos, as botas caminham sempre em conjunto uma jornada que por vezes parece solitária. As protagonistas caminham impassíveis à paisagem, da mesma forma que dela fazem parte. São engajadas e alheias à realidade. Iradas, apressadas, contemplativas, elas trilham caminhos inóspitos e paisagens urbanas. Algumas vezes parecem cantar, outras, apenas seguem, superando obstáculos que surgem no caminho.

Ao fim da série, é possível até sentir um certo afeto pelas “amigas viajantes”. As fotografias parecem dar vida às botas, ou o contrário. Só a arte é capaz disso. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário