quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Golpe e Manchetes recicladas

Mesmas manchetes, mesmas táticas
Se é possível descrevermos de uma maneira mais simples que está acontecendo hoje no Brasil, podemos dizer que todo esse "turbilhão"  tem duas raízes  principais:
1. Uma crise global que na fase atual atinge as economias emergentes, como Brasil.
2.A aliança entre os interesses imperialistas (que objetivam retomar a influência e controle na América Latina) e setores da oligarquia financeira nacional ligados à direita mais conservadora( ansiosos por retomar o poder perdido em 2002 para outro grupo político). Em suma, disputa pelo poder agravada pela crise internacional.

Não temos hoje no Brasil nada pior do que tínhamos há 15 ou 20 anos. A economia é mais sólida, mercado mais diversificado, a ascensão social ocorrendo como nunca, programas sociais amenizando as desigualdades sociais, educação sendo democratizada, e, por fim, denúncia e combate à corrupção oriunda da relação promíscua que existe entre o Estado e o capital privado.

A "maior crise da história" não passa de um elaborado argumento midiático que nem novo é: também com Getúlio e Jango passamos pela "maior crise da história" e a moralidade foi utilizada como desculpa para golpes ( um tentado e outro consumado). Os grandes desafios que o Brasil enfrenta hoje, da retomada do crescimento e da industrialização, do desenvolvimento, da distribuição de renda, do aperfeiçoamento da democracia e defesa da soberania, se fazem nesse contexto e o caminho para o enfrentamento desses desafios passa pela manutenção do mandato da presidenta Dilma.

Por isso, não compactuo, não me permito usar por grupelhos golpistas, não me omitirei em nenhum momento em denunciar: golpistas não passarão! Nem os lobos e nem o "cordeiros". De boas intenções o inferno está cheio. Se querem melhorar o Brasil, que comecem respeitando a nossa democracia e o voto da maioria que foi às urnas em Outubro!

Nenhum comentário:

Postar um comentário