sábado, 5 de março de 2016

O mundo além do retrato em preto e branco






Brasil! Precisamos superar a preguiça mental de ver tudo em preto e branco e reaprender a raciocinar "colorido". A realidade não se resume a ser "contra" ou "a favor" de tudo, como esse mundo minúsculo de redes sociais nos quer adestrar a crer.

O que aconteceu ontem foi um abuso, uma ilegalidade, não poderia ter acontecido. Manifestar meu apoio a um cidadão que sofre um abuso de autoridade não significa que eu abone todas as suas condutas, que "ponha minha mão no fogo" por ele (Eu não ponho, por ele nem por ninguém!), assim como fazer oposição ao governo não deveria ser motivo para aplaudir uma condução coercitiva de um cidadão que não foi sequer intimado. Se há tantos indícios e provas, Lula deve ser investigado, processado e julgado. Será inocentado ou condenado? Não sei, e acredito que a mim cabe não o ateste da culpa ou da inocência de ninguém, mas sim lutar por suas garantias constitucionais, pelo devido processo legal. Isso não é "defender bandido", é defender a lei e a democracia! Minha convicção pessoal sobre Lula, assim como sobre cada liderança e força política que apoio ou deixo de apoiar, vai além de uma análise meramente jurisdicional. Acredito e defendo um legado, um projeto, de maior justiça social, de soberania e independência do Brasil, de uma atuação solidária nas relações internacionais, de fortalecimento do Estado Brasileiro. Um legado desse período em que vivemos em que há maior oportunidade de crescimento pessoal e social de uma camada da população antes relegada a migalhas. Hoje Lula é quem melhor representa este legado, e não há como desvincular um ataque abusivo a Lula de um ataque abusivo a este projeto.

Apontar erros, falhas discordâncias com uma organização, pessoa ou instituição não significa que eu seja CONTRA elas. Sim, tenho muitas reservas quanto à Operação Lava-Jato. Entendo que é uma operação que poderia ajudar muito mais o Brasil se não estivesse sendo instrumentalizada para uma disputa de poder político da oposição contra o governo. Isso pra mim está muito claro, basta constatarmos que Aécio já foi citado CINCO vezes em delações e nunca foi chamado a depor, enquanto Lula não foi citado em nenhuma e ontem foi conduzido à força, num espetáculo midiático. Os vazamentos, (que nem deveriam ocorrer, isso é um escândalo!) são seletivos e atingem apenas membros do governo ou aliados. A utilização de orgãos de mídia para formar uma opinião sobre os fatos e os investigados é flagrante. Porém, apontar desvios e discordâncias com a Lava-Jato não significa que sou CONTRA investigação de corrupção. Sabemos que existem esquemas de corrupção que precisam ser investigados. Existem muitos e graves indícios de que políticos e empresas tenham por décadas mantido um relacionamento de promiscuidade nociva ao país e isso só acaba quando soubermos a real dimensão dos fatos e os envolvidos de todos os lados forem exemplarmente punidos. Sem parcialidade, pois a parcialidade na condução dos trabalhos da Lava-Jato pode comprometer a justeza dos resultados da operação.

Conseguir enxergar "colorido" também nos permite raciocinar para além da esfera meramente jurídica/processual, de apontar culpados ou inocentes. Há muito mais que uma guerra de "justiceiros" CONTRA "bandidos" nessa história. É preciso compreender que há uma disputa pelo poder acirrada, que atinge todas as instituições envolvidas. Isso não quer dizer que eu seja CONTRA o Judiciário, a Polícia Federal ou o Ministério Público. Eu não poderia ser contra orgãos de vital importância para a República brasileira!  Porém, essas e todas as instituições são formadas por PESSOAS, que possuem seus interesses pessoais, de classe, familiar, etc. Concurso público NÃO É ATESTADO DE IDONEIDADE e há no serviço público muitos desvios de conduta sim! Ignorar isso é ingenuidade ou má fé. A sociedade precisa rasgar o véu dessa “casta” de pessoas “acima da moral, infalíveis”. As disputas de interesse permeiam TODAS as instâncias do Estado brasileiro e quando temos consciência disto, somos capazes de lidar com essas contradições sem mistificações. É preciso começar a separar o joio do trigo no serviço público brasileiro, pois embora existam os que se deixam instrumentalizar, há uma MAIORIA de servidores dedicados, honestos e probos, que estão tentando fazer sua parte por um país melhor.

Hoje podemos ver no Congresso Nacional como essa polarização é danosa para o país. Deputados se comportam de forma oportunista e irresponsável, se negando a seguir com a pauta legislativa, obstruindo votações importantes, rejeitando leis das quais o Brasil precisa, apenas por serem "oposição". Aproveitam-se de uma crise econômica para agravar uma crise política, transferindo para a população todo o ônus desse jogo de poder. Liderados por Eduardo Cunha (esse sim, com culpa no cartório em documento assinado em três vias e com firma reconhecida), esses parlamentares abusam da dicotomia NÓS X ELES, ignorando na cara dura os preceitos constitucionais e democráticos de legitimidade. Essa lógica precisa ser superada, o Congresso Nacional não é uma arena e nós não somos a torcida na arquibancada. Não podemos admitir desmandos e manobras que atingem frontalmente nossa democracia! Está em curso uma tentativa de golpe ao mandato da presidenta Dilma e, sejamos oposição ou situação, é preciso compreender que não há possibilidade de o Brasil, ou qualquer país, melhorar ou superar uma crise por meio de um golpe. Apenas se conseguiria criar um quadro perigoso, de insegurança e de muito confronto social. Quanto a isto, lutarei com todas as forças e todas as armas que a condição de cidadã brasileira me permite, para que seja respeitada a vontade popular manifestada nas urnas, e para que não tomem nossa Republica no tapetão!



Enfim, tento ao máximo respeitar opiniões contrárias porque entendo que esse esforço pode me recompensar com o rompimento da "bolha" de amizades virtuais. É difícil não levar para o lado pessoal, mas é preciso ter consciência de que aquele que pensa diferente não é necessariamente um inimigo. Por outro lado, também não cabe a ingenuidade de achar que todos são bem-intencionados. Existem muitos provocadores e disseminadores de mentiras atuando nas redes e nos principais meios de comunicação do Brasil cujo objetivo é enlaçar a sociedade numa rede de desinformação e intolerância. Esses devem ser desmascarados, combatidos e constrangidos, pois num contexto político e social tão complexo, dividir a sociedade em "contra x a favor" apenas nos coloca a todos em um ringue onde a vitória vai apenas para os agenciadores da luta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário